domingo, 30 de junho de 2013

Mar revolto!



Chega com a fúria na alma,
E nessa fúria logo se acalma,
De sentimentos revolto o Mar,
Mas pela Lua se volta afagar!

Que triste o constante vaivém,
Ora calmo, belo e espelhado,
Ora revolto querendo levar alguém,
Deitando por terra o que foi sonhado!
 
Deixam-me o tempo parar,
Deixa-me votar a sonhar,
Deixa-me voltar a teu lado caminhar,
Deixando de novo gravar,
As pegadas do que é Amar!
18:50 29/05/2013  

Palavras livres!



Como pedras arremessadas,
Num charco qualquer,
Criando ondas sincronizadas,
Como todos as podem ver!

Seguem compassadas numa absoluta perfeição,
Como que nascem, e puxão e seguem a sucessão,
Até perderem a força e o ímpeto de avançar,
E com calma na quietude voltar a ficar!

Palavras livres, soltas que animam,
Que nos confortam e mimam,
Que nos magoam, que nos ferem,
Mas que no vento se perdem!

São palavras que nada valem,
Sozinhas sem sentido,
Palavras que ditas por alguém,
Que mesmo estando perdido,
Pode dar voz e sentido,
Ao grito que no charco havia caído….

18:22 28/05/2013

SOS…



Que bom saber que após um grito,
De socorro, de auxilio aflito,
Tantos outros nos socorrem,
Tantos outros nos acorrem!

Sentimo-nos uma armada,
Em que não há balsa naufragada,
Não se deixa ninguém para traz em solidão,
Não se deixa perder o sentimento de união!

Para muito mais forte voltar,
Perdendo o medo de naufragar,
Por termos amigos em quem confiar!
Agora sim avançamos,
Agora sim caminhamos,
Agora Sim Amamos!
16:34 28/05/2013



Retalhos de uma manta!



São os pequenos retalhos de felicidade,
Que vão compondo a nossa manta da vida,
Que vai crescendo da forma que é sentida,
Que nos vai tapando no inverno da infelicidade,

Que reconfortante é faze-la crescer,
Que reconfortante é poder remenda-la,
A dois é mais fácil poder embeleza-la,
E ver à nossa volta mais mantas nascer!

Vivemos tristes e incertos momentos,
Mas pela fé não mais temos argumentos,
Para não ultrapassar esses nosso desalentos!

Mas só os dois sendo Um se torna possível,
Só os dois como Um a tornamos visível,
Só os dois sendo um tornamos o sonho atingível!

CCO 28-05-2013

Espera


Quantas vezes esperamos,
De ti, um mero sinal,
Quantas vezes desesperamos,
Por te conhecer Mal.
Mas não buscamos conhecer-te,
No dia-a-dia não te procuramos,
Não podendo assim seguir-te!
Deixemos a quietude,
O comodismo, a passividade,
Busquemos, procuremos…
É tempo de agir, seguir..
Mais e mais além.
Vem e traz um amigo também.







Desejo





O desejo cresce em mim,


Qual noite ao por do sol...
Sem dar conta, sem saber...
Os raios espraiados,
Por essa praia...

Quero-te...
Rumar sem destino,
Por entre encontros de paixão ardentes...
Sentindo o calor tocar nossas faces...
Olhar abraçados o vermelho solar de abandono...
O nascer da escuridão...
Rasgado pelo brilhante luar desse misterioso corpo celeste...



Quero-te, a ti mulher...
Que minhas noites preenches...
Com o brilho do primeiro dia...



De ti me afastei...

Para me encontrar novamente...
Qual sol nascente...
Com mais luz, mais calor...
Na mais ardente das paixões...




Todo o tenebroso passado,
apagado... Como escrito na areia...
Que uma onda apagou a sua majestosa passagem...
Nasci novamente...

Vamos sem destino celebrar...
Paixões, desejos...
Sem pudores...
Rolando na imaculada areia...
Onde o tempo se perde...
Com o céu onde cores indefinidas se misturam...
Vermelhos e laranjas...
azuis...
Correremos lado a lado...
Com a brisa batendo em nossos corpos...

Correremos vales e montes...
Planícies.
Anunciando ao universo o nosso amor...

quero-te...
Me entrego a teus caprichos de corpo e alma...

quero-te...
Sou teu, e apenas teu.
Quero partir... contigo... Sem destino...
Rumar ao por do sol...
AMOR...