domingo, 30 de junho de 2013

Mar revolto!



Chega com a fúria na alma,
E nessa fúria logo se acalma,
De sentimentos revolto o Mar,
Mas pela Lua se volta afagar!

Que triste o constante vaivém,
Ora calmo, belo e espelhado,
Ora revolto querendo levar alguém,
Deitando por terra o que foi sonhado!
 
Deixam-me o tempo parar,
Deixa-me votar a sonhar,
Deixa-me voltar a teu lado caminhar,
Deixando de novo gravar,
As pegadas do que é Amar!
18:50 29/05/2013  

Palavras livres!



Como pedras arremessadas,
Num charco qualquer,
Criando ondas sincronizadas,
Como todos as podem ver!

Seguem compassadas numa absoluta perfeição,
Como que nascem, e puxão e seguem a sucessão,
Até perderem a força e o ímpeto de avançar,
E com calma na quietude voltar a ficar!

Palavras livres, soltas que animam,
Que nos confortam e mimam,
Que nos magoam, que nos ferem,
Mas que no vento se perdem!

São palavras que nada valem,
Sozinhas sem sentido,
Palavras que ditas por alguém,
Que mesmo estando perdido,
Pode dar voz e sentido,
Ao grito que no charco havia caído….

18:22 28/05/2013