quarta-feira, 24 de julho de 2013

Noites de verão




Voltam noites de burburinho,
De quem não dormindo,
Sai sozinho ao caminho,
Deixando atrás o seu cantinho.

Seres noturnos se acomodam,
Nos bancos livres repousam,

Ao sons de grilos e cigarras,
Que nos prendem em suas asas.

Na esplanada apinhada,
Sai mais uma “mine” gelada,
A refrescar a garganta,
Da conversa que ressalta,
Em palavras vazias,
Despidas das partilhas,
Do vivemos nestes dias.

Voltas a casa cheio,
De pensamentos vazios,
Ao leito abandonado,
Que se encontra refrescado,
Com a ausência dos corpos,
Que lá tinham rebolado.

Voltas a olhar,
O infinito luar,
E ficas a pensar,
Se vale a pena,
Com este calor deitar….

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Momentos de felicidade,


Na vida tudo são instantes,
De alegrias ou tristezas,
Meros momentos constantes,
De grandes e profundas certezas!


Procuramos a felicidade,
Numa pétala de flor,
Num toque,
Num carinho,
Num momento de amor,
No templo em solidão,
Sozinho em reflexão,
Prostrado em oração,
Mas, e há sempre um mas,
A felicidade só é plena,
Se partilhada,
Se recordada,
Se sentida,
Com quem ama!

Momentos,
Que nos vão enchendo o coração,
Como remendos de mil cores,
Cada um com seus sabores,
Com seus cheiros e odores…
Sons, sentimentos, partilhas,
Chegadas e partidas,
E assim, recordando podemos,
Juntos afirmar,
Que somos felizes por Amar…

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Sonhando a paixão!


Repleto de memórias reais, vividas…
Nossos espíritos se acompanham num ritual sem tempo,
Nos confins da intima essência,
Lasciva a atmosfera que nos prende,
Com tremendas aragens libidinosas…
Neste amor onde pairam rosas que se dissolvem,
Como espuma marítima, junto a praia..
Sonhamos enrolados de pétalas espremidas…

Gritando a colorida essência do prazer,
Sonhamos a noite com um único propósito…
A saudade,
Sinto tua falta como o ar que respiro,
Juntos formamos um só corpo, Sol e Lua…
Amor cego e luminoso,
Amor translúcido ao breve olhar…
Amor que nos faz viver,
Amor que dói, por não te ter,
Uma chama que consome o nosso espírito,
E nos leva a loucuras…
Então uma lágrima de meu olhos aos teus rolou…
Lágrima que no tempo não perde o brilho,
Que pelo vento que nos separa faz sentido…
Nos condenados,
Que no nos primeiros raios de sol,
Nos fundimos, nos tocamos…
Vivendo a eterna ilusão,
De sonhar a realidade,
A ti que na noite sonho a verdade,
De te oferecer as palavras,
Ternas e meigas, que te libertam da saudade,
Amo-te!

Volto, a partir…



Verdadeiramente me desprendo,
Do leito em que repouso,
Despertando a consciência,
Do abandono,
Em que vos deixo,
Em completa nostalgia,



Apenas mais uma,
Dizes em tom de lamento…
Mais uma de muitas,
Em que te abandonei,
Em que parti e chorei…

Amanhã estás de volta,
Pois estarei, e o que ficou por dizer?
E que nunca te direi?
E o que ficou por fazer?
E que nunca farei?
Os carinhos?
A ternura?
A paixão?
O calor de nossos corpos?
A fusão?
A tesão?
O Amor?
O Fulgor?

Mas tens que partir,
Tens que sair,
Tens que ir a trabalhar,
Tens que ir a demonstrar,
O que verdadeiramente é….
O partir…
O que é Amar….

Vou,
Me esperas?
Me aguardas?
Qual sol ao pôr-se?
Beijando o mar,
Soprando a lua,
Dizendo:
“para sempre serei tua…”

quarta-feira, 10 de julho de 2013

No sopro de uma brisa,


Despi-me de ti,
Desnudei meu ser e esperei,
Me abrindo, te abracei,
No suave encanto de um dente de leão,
Soprado ao vento, chegando ao coração,
Espalhando sementes, em fértil ser,
Querendo mais, querendo saber,
A razão do encanto, a razão da paixão,
Que feitiço é esse em que me prendes,
Em que querendo conquistar,
Sou completamente conquistado,
Em que querendo seduzir,
Sou seduzido,
Em teu jogo, em teu enredo,
Em que fugindo, me esperas,
E esperando, me afastas,
Deveras em teu jogo estou viciado,
No vício da paixão, me sinto amado,
E fico, descansando em teu aconchego,
Partilhado contigo a vida,
A tristeza, alegria…
Renovando a cada dia,
A chama que nos alimenta,
Neste jogo, nesta partilha…
Que é o Amar metade de nós…
Sendo um…

domingo, 7 de julho de 2013

Ide, evangelizai…



Saindo por todo mundo,
Traçando um novo futuro,
Evangelizando, levando a palavra,
Em cada ação, em cada gesto, em cada palavra,
Não virando as costas a ti,
Não te deixando abandonado,
Quando te encontramos caído no chão,
Quando te encontramos na solidão,
Tu o Cristo que todos os Homens habitas,
Foi esta a tua ordem, são estas as tuas pistas,
Encontrai-me em cada mendigo, em cada dificuldade,
Ide, fazei, espalhai as minhas obras,
Dai a conhecer a palavra da verdade,
Nos pedes, nos ordenas, nos congregas,
Ide, fazei, espalhai as minhas obras,
Buscai, conhecer-me,
Buscai, encontrai-me,
Buscai, Orai e vos será concedido.

Mas vos alerto, vos aviso,
Não partais conquistando outras igrejas,
Sem que congregada a vossa domestica esteja,
Ou ireis perder também essa igreja,
Cuidai da vossa alma metade,
Entregai-vos e amai de verdade,
A Cristo e a toda a Humanidade!
A ti eu escolhi, em ti acreditei,
Ide, fazei, espalhai as minhas obras,
Amai-vos como eu vos Amei!


sexta-feira, 5 de julho de 2013

Delírios da Noite

Despejo palavras, arremessadas no papel,
Sinto uma fulgurosa vontade de jogar com elas,
Num momento de pausa, seguida pelo ponteiro fiel,
Escrevo sem nexo, frases como janelas,
Em que por meio delas se vê uma parte,
Nunca o todo, apenas uma fatia da tarte,
Da imensidão que compõe meu ser,
Podes aos poucos como um puzzle conhecer!

Não descrevo paisagens, nem arrebatadoras paixões,
Não hiperbolizo, nem dramatizo,
O que para nós idealizo,
Descrevo os sentimentos de nosso corações,
Apenas descrevo o sonho que realizo!

Escrevo por ti,
Escrevo para ti,
Vivo por Ti,
Vivo para ti!

A noite segue seu rumo,
Os minutos desvanecem-se,
Como seguindo o subir de um fumo,
Vagaroso e pálido no silencio arrebatador da cidade,
E tu? Dormindo, aconchegada na Saudade!

04:27  21/06/2013