quinta-feira, 30 de julho de 2015

Desenho de uma relação!...

Desenho de uma relação!..
 
Fino traço desenhado no sentir,
Abraço, união, sintonia,
Sombreado das palavras de cada dia,
Saudosa partida, ansiedade da chegada,
Sonhos entrelaçados, decididos, realizados,
Colorida a cada dia, nas ações, nos atos,
Rabiscos, erros perdoados, apagados,
Dialogados, reescritos, decididos,
Redesenhados no traço, na forma,
Forma que completa, que se une, entrelaça,
Redefine a cada dia, bailado de sombras,
A cada dia apena o risco, de se redesenhar,
De ganhar forma, de decidir de novo,
As cores, paleta das atitudes e gestos,
Com que se reveste o desenhar da relação!
A cada dia escolho, escolhemos
Pintar de novo a nossa vida!
 
Alberto Cuddel

30/07/2015
 
 

 

quarta-feira, 22 de julho de 2015

14 - Já me perdi...


Já me perdi…
Já me perdi em desvaneios poéticos,
Num ou noutro universo,
Na estrutura rígida de um verso,
No luar de uma lagoa,
No sol quente na areia,
No mar batendo na proa,
No calor de um a lareira!...

Já me perdi…
Nas cores dançantes de um jardim,
Na firme vontade de calar um sim,
Nas trovas ridículas de escrever o amor,
No desenho colorido e vagaroso do sol por,
Na saudade sentida em noite escura,
Na dor absurda da ausência pura,
No teu corpo desejo provocado,
Despido de tudo num beijo molhado!...
 
Já me perdi…
Escrevendo coisas sem nexo,
Poema delirante e complexo,
Já me perdi…
Para me encontrar,
E sem delirar, saber porquê escrevo,
Que do nada assim me ergo,
Podendo aos ventos gritar,
Que apenas escrevo por amar!...
 
Alberto Cuddel
22/07/2015
 

"Pensamentos Soltos"
http://facebook.com/escritoassim
http://infinitamente-nosso.blogspot.com.br
http://escritanoface.blogspot.PT


domingo, 19 de julho de 2015

13- Façamos Amor...

13 - Façamos amor…

A cada dia, 
A cada hora…
Façamos amor…
Façamos amor, quando me envolves,
Em teias de argumentos que só tu conheces,
Em discussões sem sentido, ferindo o ouvido,

Façamos amor…
A cada saudade na despedida da manhã,
A cada olhar afastando-se ao longe,
A cada partida, a cada chegada…

Façamos amor…
A cada chamada, 
A cada mensagem 
A cada palavra,
A cada certeza, 
A cada dúvida partilhada!..

Façamos amor…
Dormindo sozinhos libertando a alma,
Abraço distante vagueando com calma,
Na brisa da noite, nos sonhos perdidos, 
No calor do encanto, desejos escondidos!...

Façamos amor…
Enquanto comemos, brindando os alimentos,
Enquanto trabalhamos, para não esquecermos,
Enquanto viajamos, para não nos perdermos!...

Façamos amor…
À noite no quarto no silencio apagado,
Olhar tacteando o teu outro lado,
Mãos que despem os tecidos do dia,
Tarefa partilhada assim cumprida,
Despidos de tudo que a alma trazia,
Abraçados no nada, assim é a vida,
O dia acaba, a noite inicia,
Façamos amor até ser dia,
Dormindo abraçados,
Assim unidos,
Corpos dormentes,
Espíritos diferentes,
Unidos no tudo,
Que o amor nos dá,
Façamos amor, hoje e sempre…
Até amanhã….

Alberto Cuddel
19/07/2015

"Pensamentos Soltos"
http://facebook.com/escritoassim
http://infinitamente-nosso.blogspot.com.br
http://escritanoface.blogspot.pt








Já sonhei - Pensamentos Soltos

12- Já sonhei…
 
Já sonhei poder ler tuas palavras e conhecer-te,
Olhar a tua imagem de perfil e ver-te,
Ser real o que na realidade mostras ser,
Seres tu, sem que te tenhas que esconder,
Sonhei que a virtualidade,
Era imagem da tua realidade,
Já sonhei…
Mas a cada dia acordo um pouco,
A cada dia, vejo o sonho de cada vida,
A cada dia, uma nova e triste saída,
Uma realidade, uma ilusão, um sonho,
Um viver iludido, realmente tristonho,
Agora que acordei…
Ondes estás realidade que sonhei?
Porque tens medo de ser tu?
Tudo pode ser tao diferente na amizade,
Tanto podemos ajudar a realidade,
Deixa cair, a tristeza, a inveja,
Deixa que o mundo te veja,
Como na realidade és,
Deixa render-me a teus pés,
Deixa cair a mascara da ilusão,
Deixa poder segurar-te na mão,
Deixa poder mudar, a tristeza,
A desconfiança e incerteza,
Que te assola o coração,
Que impede a visão,
De sonhar um novo futuro,
Onde o sentir é muito mais puro,
Se te deixares de esconder…
Sé verdade, e volta a viver…
 
Alberto Cuddel
19/07/2015
 
"Pensamentos Soltos"
 
 

A cada Dia!....


quinta-feira, 16 de julho de 2015

11-Conversa (descon) fiada


11-Conversa (descon) fiada

 


Revolves palavras ditas ao vento,

Retidas no tímpano ouvido adentro,

Matutadas, digeridas, meditadas,

Soltas e perdidas, assim em nadas,

Num tudo do adestrado pensar,

Que lhe dão um outro significado,

Palavras sequestradas a compensar,

O conteúdo pensado adulterado!

 

Conversa de parvos mal sintonizada,

Conversa falada, fiada, gritada, calada,

Dialogo de surdos ralhada na exaustão,

Por ideias banais de um qualquer cidadão!

 

Esgrima de argumentos, sujos no chão,

Por uma palavra ou comprido palavrão,

Conversas da treta da trampa não passa,

Até que um se cale ou aja uma desgraça!

 

Cabeças duras que de duras são surdas,

Burras não são mas vestem albardas,

Para no fim num abraço, ou desistência,

Acabasse a discussão e toda a abstinência!

 

Conversas fiadas sem terem razão,

Acabam sempre por dar discussão,

Calem-se as vozes que alto gritam,

Olhem, o céu, os outros e reflitam,

Se calados ficarem sem contrariar,

Saímos todos um pouco a ganhar!

 

Conversa fiada,

Não leva a nada!

 

Alberto Cuddel
17/07/2015
 
 

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Deixem que vos diga...

Deixem que vos diga…
Deixem que vos diga…
Que sem ocupação não há cansaço,
Que sem amor não há saudade,
Que sem prisão não há liberdade,
Que sem mentira não há verdade!
 
Deixem que vos diga…
Que vontade não é prazer,
Que fazer não é saber,
Que saber é partilhar,
Que partilhar é amar!
 
Deixem que vos diga…
Que para estar vivo não basta viver,
Que para acreditar não é preciso ver,
Que para correr é preciso andar,
Que para doar é preciso amar!
 
Deixem que vos diga…
Que vemos sem olhar,
Que ouvimos sem escutar,
Que tocamos sem sentir,
Que ficamos sem partir!
 
Deixem que vos diga…
Que se olharmos,
Que se escutarmos,
Que se tocarmos,
Que se sentirmos,
Podemos ficar,
E ver, sentir, ouvir,
Os pedidos de socorro,
Que quem nada tem,
Dos que não tem o que comer,
Dos que não tem onde dormir,
Dos que estão sozinhos,
Dos que clamam por carinhos!
 
Alberto Cuddel
 
Reflexões do dia de hoje
 

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Nada vejo!

 
Nada vejo!
 
Fecho os olhos, nada vejo,
Memoria em mim de teu corpo,
Sensual, manancial de prazer,
Som de teu respirar, compassado,
Ofegantemente rouco,
Murmuro de doces palavras,
Odores perfumados que se fundem num abraço,
Mãos, dedos que desenham no ar,
Percorrem rios delirantes de desejo,
Sabores, salivas degustadas,
Despudorado erotismos que nos consome,
Revolve e envolve,
Na arte consumada do orgasmo,
De tornar uno o querer, o desejo,
De ser, ficar, estar
Um só prazer, partilhado,
Tornando una a carne,
De uma alma partilhada!
 
Alberto Cuddel
10/07/2015
Amor e Erotismo

terça-feira, 7 de julho de 2015

Pedaços de Mim


Pedaços de mim!

 

Tropecei,

Caindo, escaqueirando-me no chão,

Pedaços, soltos, grandes, pequenos,

Tropecei na ilusão da carne, prazer,

Sentindo sozinho o abandono de mim,

Deixei-me adormecer no embalo,

Das belas e maldosas palavras!

 

Caminhando,

Caindo, escaqueirando-me no chão,

Pedaços, soltos, grandes, pequenos,

Dos cacos, apenas o sentir,

Permanecia, sustentava,

Cacos, recolhidos um a um,

Por ti, na pura humildade,

Reordenados, remendados,

Nada formava, nada existia!

 

Parti-me,

Caindo, escaqueirando-me no chão,

Pedaços, soltos, grandes, pequenos,

Pedaços moídos, triturados, feitos pó,

Para de novo moldar, formar, aprender,

Educar, renascer, do pó, da cinza!

 

Ergui-me,

Caindo, escaqueirando-me no chão,

Pedaços, soltos, grandes, pequenos,

Reaprendi, aprendi a ver, andar,

A caminha lado a lado, a viver,

Não em mim, não por ti,

Mas através de um nós!

A dois sendo um!

 

Alberto Cuddel