quinta-feira, 16 de julho de 2015

11-Conversa (descon) fiada


11-Conversa (descon) fiada

 


Revolves palavras ditas ao vento,

Retidas no tímpano ouvido adentro,

Matutadas, digeridas, meditadas,

Soltas e perdidas, assim em nadas,

Num tudo do adestrado pensar,

Que lhe dão um outro significado,

Palavras sequestradas a compensar,

O conteúdo pensado adulterado!

 

Conversa de parvos mal sintonizada,

Conversa falada, fiada, gritada, calada,

Dialogo de surdos ralhada na exaustão,

Por ideias banais de um qualquer cidadão!

 

Esgrima de argumentos, sujos no chão,

Por uma palavra ou comprido palavrão,

Conversas da treta da trampa não passa,

Até que um se cale ou aja uma desgraça!

 

Cabeças duras que de duras são surdas,

Burras não são mas vestem albardas,

Para no fim num abraço, ou desistência,

Acabasse a discussão e toda a abstinência!

 

Conversas fiadas sem terem razão,

Acabam sempre por dar discussão,

Calem-se as vozes que alto gritam,

Olhem, o céu, os outros e reflitam,

Se calados ficarem sem contrariar,

Saímos todos um pouco a ganhar!

 

Conversa fiada,

Não leva a nada!

 

Alberto Cuddel
17/07/2015
 
 
Enviar um comentário