terça-feira, 4 de agosto de 2015

Como é hábito, o Jornal Mira Online reproduz, aqui, entrevistas feitas com poetas e poetisas ligadas ao Grupo Poético Poesia da Beira-Ria. Desta feita, o autor escolhido é Alberto Cuddel.


1 – Perfil do Poeta:
  1. a) Nome: Alberto Cuddel (pseudónimo de António Alberto Teixeira de Sousa)
  2. b) Profissão: Inspetor de Circulação Ferroviária (na recém criada Infraestruturas de Portugal)
  3. c) Residente (localidade) Castanheira do Ribatejo – Vila Franca de Xira
2 – JM. – Como se define em termos de ser humano?
Não é fácil falar em causa própria, ou definir-me, pois esse exercício é auto limitativo, mas como ser humano sou um sonhador, alguém que se indigna com a miséria humana, com a queda acentuada dos valores da sociedade, com a indiferença e a individualidade, alguém que ama intensamente…
3 – JM. – Os autores que mais o marcaram, foram autores poéticos ou outros? Mencione dois ou três.
Existem vários autores de referência incontornável tanto na poesia como no romance, dos quais destaco, Bocage, Camilo Pessanha, Fernando Pessoa e os seus heterónimos e por ultimo Miguel Torga, para nomear apenas alguns.
4 – JM. – De alguma forma estes autores que referiu, o levaram à escrita da poesia? Refira qual o Autor.
Sem duvida alguma um dos heterónimos de Fernando Pessoa, Alberto Caeiro, na sua forma simples de escrever a complexidade das coisas, foi um dos que mais me impulsionou. No meu percurso escolar, tanto o romancista Eça de Queirós, com a sua forma única de descrever o mundo em cenas, como a personagem aparentemente simples de Alberto Caeiro, levaram-me a ler e a escrever o mundo de uma outra forma, de uma forma para além da forma física das coisas, para alem do sentir da paisagem.
5 – JM. – A aceitação do que escreve poeticamente é analisada por si em que “meios”? ( Facebook, antologias, livros publicados, saraus poéticos e/ou outros)
Escrevo por impulso, por um quase vicio, utilizo por isso a poesia quase como uma forma de comunicar, nas redes sociais, sim, Facebook, Google+, Blog, participei em três antologias editadas este ano. Participei já em dois saraus poéticos. E uma das experiencias mais gratificantes aconteceu numa escola com alunos do 9º ano em que participei, declamando poesia minha.

Enviar um comentário