quinta-feira, 24 de setembro de 2015

"Escolhi Amar-te" - XIII






Sobes as escadas, visivelmente cansada, claro que estas cansada, todo o dia a trabalhar, mesmo assim, beijas-me e num expressivo sorriso o teu olhar grita Amo-te. Sim, vivemos cansados, como todos os outros, cansados, mas felizes, porque ontem o decidimos ser e viver, felizes. Vivemos, dá trabalho viver, vives em mim, vivo em ti, vivemos em nós. Dá trabalho viver, ir sempre mais além, abraçar quando se pede a mão, beijar, quando se pede um abraço, um jantar, quando se pede apenas pão, uma nota quando se pedia uma moeda, dar quando se pedia emprestado, dá trabalho viver. Mas viver é felicidade.

Quantas vezes retrais-te em ti mesma, por medo de errar? Corre, grita, faz, não tenhas medo de falhar, falhar é humano, humanidade é vida, viver é aprender, aprender é aplicar, aplicar é poder falhar! Não tenhas medo de errar, quem nunca errou nunca soube o gosto do perdão, nunca saberá perdoar, nunca saberá amar, nunca irá saborear, cheirar, sentir a plena felicidade!

Escolhi amar-te a cada acordar, a cada adormecer, a cada vivência, por saber que irei falhar, que irei errar, que irei tropeçar, mas que estou disposto a recomeçar, a perdoar-nos a nós próprios, a expiar em nós a culpas do mundo, pois só pratica a justiça o que conhece a injustiça, só conhece o perdão o que errou, só pratica o bem o que conhece o mal, só ama que já odiou, só decide amar, quem verdadeiramente conhece o seu significado!

Sei que vens cansada, e mesmo assim beijas-me e num expressivo sorriso o teu olhar grita Amo-te!
 
 
Enviar um comentário