quarta-feira, 30 de setembro de 2015

"Escolhi Amar-te" - XVIII



Vejo-te dormir, como se dormisse em ti, sono perfeito angelical, em mim sonhas todos os teus sonhos, desejos, devaneios juvenis. Dormes como se nunca houvesse acordado em mim, no sonho que os dois sonhamos, na ampla resposta silenciosa suspensa no grito calado na garganta. Vejo o anoitecer cair no teu rosto, como se deita o sol no horizonte, deitado a teu lado, memorizo no toque todas as linhas do teu rosto, todo o nosso passado, todo o nosso presente, proposta de futuro.

Vejo a noite seguir compassada na orbita lunar descrita no teu corpo, nas curvas perfeitas do teu ser, respiro em ti na sincronização perfeita de que és o meu ar, meu sustento, espero o teu acordar, fazer de mim espectador do brilho das constelações do teu sorriso, poder afogar-me na profundidade do teu olhar, tenho um desejo sincero de ver-te acordar diariamente e, acariciar-te eternamente. Tenho uma vontade crescente, de ter-me permanentemente a teu lado.

Quero que acordes em mim, como sol iluminando o raiar de um novo dia, num vontade irreversível de desabrochar, como papoilas ao raiar da manhã, quero sentir-me aquecendo teu rosto, ser o motivo do teu rubor, do calor que te inunda o corpo, da ânsia, da vontade de sermos apenas um, um corpo, uma vontade, um querer, uma alma. Quero acordar em ti e escolher a cada dia no teu olhar, amar-te mais um dia!




Enviar um comentário