terça-feira, 13 de outubro de 2015

45- Sem título

 
Crescem as palavras na escrita continua,
Luas cruzam os céus sob a neblina matinal,
O sol que espreita no varal, poético quadro,
Rimas esquecidas, uma rosa oferecida,
Despertar no teu abraço, esquecido sonhar
Estrelas saltitantes do teu doce olhar
O ruido do padeiro- pão quente, quente
Corre, corre- a escola não pode esperar,
Não há chuva, um nada de vento,
Corre, corre, pequeno almoço para dentro,
O branco do teto, que me prende na cama
O abraço desfeito pela pessoa que ama
Manhã, apenas mais uma manhã,
Igual a ontem, igual à da amanhã,
Já despachado a porta bateu,
Junta-me a mim, aqui como eu,
Abraço-me em ti, abraço dormente
Não vou trabalhar talvez por doente
Preguiça de mim, entregue por fim
Por não ter acordado,
Se sequer estar deitado,
Da noite de trabalho
Talvez só sonhado,
Bom dia amada,
Finalmente a chegada!
Alberto Cuddel®

 
Enviar um comentário