sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Escolhi Amar-te L


Há dias assim, sinto-me capaz de tudo, com vontade de nada. Em que me sinto mais vivo que nunca, mas morto no querer, mais forte no desejo, mas mais fraco no sentir. Dou por mim procurando o meu ego num sítio muito distante, distante de ti, distante de mim.
Assim encontro-me em ti quando me perco de mim…- dizem que não somos metade um do outro, mas apenas formamos um. Quando estou gelo, tu és fogo, quando se apaga o desejo, ofereces-me o fogo reavivado e opressor no calor do teu beijo, como que me beijasses a alma.
Escreve em mim a sedução do desejo, do profano e erótico querer, proclama em quatro paredes o gemido que se sopras ao ouvido, a sedutora forma com que me envolves em teus braços ao despir-me a alma. Contorcionista em meu corpo, escalas em mim, no rubor de meu rosto, extasiado, anestesiado na volúpia do teu desejo.
Arrebatas-me definitivamente para ti, para em ti me redescobrir e encontrar-me quando me perco de ti. Hoje escolhe-me a mim, para que eu te volte a escolher a cada dia!
 
Alberto Cuddel®
Enviar um comentário