domingo, 29 de novembro de 2015

Escolhi Amar-te LI


Escolher amar-te foi provavelmente a decisão mais inteligente que tomei enquanto ainda era um idiota!
Antes mesmo de me saber eu, escolhi descobrir-me em ti, no teu abraço perdi o limite do perigo, abriste-me o horizonte do teu olhar ao meu, inflamaste-me em nova coragem no teu beijo, reencontrei as cores do mundo, não do meu mas do nosso, que dia-a-dia edificamos na alma.
Encontro em ti a cura e a minha doença, a cura dos medos e a doença do ser destemido em ti, perdi o medo de te amar em mim com todo o meu ser, encontro no teu sorriso a desculpa perfeita para saltar para abismo que és tu. Nem precisas de sorrir muito, ou pedir ternamente, basta que teus olhos mo peçam.
Perdi de mim a ignorância da paixão, a euforia juvenil das hormonas, hoje não eu, não tu, amamo-nos febrilmente no corpo e loucamente na alma, mais no corpo com a alma, ou com a alma no corpo…
Escolhi Amar-te para que o eu desse lugar ao tu, para que o tu passasse a ser eu, e o nós se tornasse a primeira pessoa do singular!
 
Alberto Cuddel®
 
 

Enviar um comentário