segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Escolhi Amar-te XXXIV


Não amor, o amor não é um mar de rosas, o amor não é um momento, o amor é também dor, o amor é um medicamento! Noites que passamos sem dormir, para nos deitarmos na manhã, dias e dias afastados, um desejo, teus lábios beijados!

Não amor, o amor não é um mar de rosas, o amor não é um momento, o amor é também dor, o amor é um medicamento! Nas zangas, nas discórdias, nos sonhos desfeitos e abdicados, no lutar por ti, no guerrear por mim, nas noites passadas com o bebé chorando, ora eu, ora tu, dormindo em sobressalto!

Não amor, o amor não é um mar de rosas, o amor não é um momento, o amor é também dor, o amor é um medicamento! Derrubamos barreiras erguidas na monotonia dos dias, destruímos muros, quebramos tabus, preconceitos, nos nossos loucos dias de tratamento.

Não amor, o amor não é um mar de rosas, o amor não é um momento, o amor é também dor, o amor é um medicamento! Temos medo, tanto medo, medo de errar, medo de falhar, medo de não corresponder, medo de dizer sim, medo de dizer não, medo de afirmar, medo de contrariar, medo de ser, medo de não ser, medo da doença, medo da cura.

Não amor, o amor não é um mar de rosas, o amor não é um momento, o amor é também dor, o amor é um medicamento! Não há melhor forma de viver o amor do que apenas vive-lo, na falha, no acerto, na promessa, na desculpa, no perdão, na paixão, No mudar, no aprender, no crescer, no viver!

Não amor, o amor não é um mar de rosas, o amor não é um momento, o amor é também dor, o amor é um medicamento, para cada vez que falharmos, nos possamos perdoar, no amor que cada um de nós tem a dar, amo-te em mim, amas-me em ti, escolhemos amar-nos conscientemente como um placebo, quando nos unimos na intimidade das nossas almas!
 
Alberto Cuddel®
 
 

Enviar um comentário