terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Escolhi Amar-te porque me Amava II


 

… na minha terna e juvenil vontade de te encontrar, de passar a existir também em ti, jamais sonhei  ousar viver tudo o que em ti encontrei. Selaste em mim um pacto elevando-me ao mais alto querer, sabendo-me amada e desejada como alguma vez pensei naquele momento.
Em pleno altar do mundo, diante da Mãe das Mães, elevaste-me à condição de me desejares como mulher, para sempre em ti, ao teu lado, não como tua, mas como companhia permanente de uma caminhada a dois. Ali, deixaste-me na plena confiança de saber verdadeiro o teu desejo de amar, ali, deixei de ser apenas alguém com que falavas, ali fiquei a saber que um dia me querias, não por um momento, mas por uma vida. Ali deixei os sonhos de menina!
Selaste a ouro a tua intenção, num anelar esguio, vazio, preencheste-me com a dourada consequência de me desejares tua, selaste em mim uma aliança, um pensamento permanente, de me sentir pertencer ao nosso corpo futuro. Criaste em mim a confiança, de saber que não apenas eu sonhava, mas que tu amado meu, serias o realizador permanente dos meus sonhos. Dos poucos, dos muitos, de todos os sonhos que contigo sonhei! 
M. Irene Cuddel
 
Enviar um comentário