terça-feira, 5 de abril de 2016

Porque me Amava XXIX

Porque me Amava XXIX

… mesmo sendo tu debaixo das luzes dos holofotes, também eu lá estou, vivendo em ti!

Mesmo vendo-te a ti ali diante de mim, não estas só, és parte de mim, vivo ali em ti, como espelho da minha própria existência, és porque também eu sou, sou as palavas que escreves, sou os sons que docemente emanam dos teus lábios, sou batida sincronizada de um músculo cardíaco, sou inspiração, não sou menos nem mais, existo em ti, no ser que és, por Amor, a ti, pelo Amor que em mim depositas!

Escolhemos simultaneamente quem somos, como existimos um no outro, não numa algraviada escolha democrática do sentir, mas como um, somos Eu, não um nós, mas um Eu!

No passado teria sentido amar-me, amares-te, mas hoje? Hoje apenas amamo-nos um no outro! Hoje o eu e o tu, apenas assim existe, num passado longínquo onde nos abandonamos um no outro!

M. Irene Cuddel
 
 
 
 
Enviar um comentário