sábado, 25 de junho de 2016

Para Ti


 Para Ti

 

O mundo, tudo de mim,

Mas de mim nem uma palavra,

Do meu silêncio nada brotava,

Nem flor, nem magia, de novo nada!

Uma certeza, um sinal, um calor,

Definitivamente amava!

Neste silêncio, amordaço-me,

Calo-me ao mundo, falo-te

apenas a doce força do abraço,

do gesto contido,

do sussurro ao ouvido!

 

Para ti

Um tudo delineado no sonho

Suavemente agitado nas horas

em que o sol se deita, em que o luar espreita,

nos tempos em que as alvas nuvens

correm nos céus, na suavidade da brisa

olhos que se perdem entre o cheiro da erva

e os desenhos curvilíneos o teu corpo,

sonhamos o futuro, como sonhamos

as formas da nuvens

que nos levam os pensamentos!

 

Alberto Cuddel®


Enviar um comentário