quinta-feira, 23 de junho de 2016

Soletro




 

Soletro soluços por entre lágrimas,

                - Olho o mar, e a ausência deixada

Jamais pesquei saudades,

ou homens com verdades

inscritas a ferro e fogo no peito,

sem medos, pudores, afeições,

tudo pela vontade e desse jeito,

(nunca ao primeiro olhar paixões)

Gravei, soletrei na areia o teu nome,

Lavado e levado pelas lágrimas

Que soluçando soletro!

 

Alberto Cuddel®

Enviar um comentário