domingo, 28 de agosto de 2016

Exercício poético III




“Quantas vezes o silêncio
Grita agitando as palavras
Que ainda não foram escritas!”

Pode ser o silêncio o mero acanhamento da tacanhez envergonhada das tuas palavras politicamente incorrectas, revestidas pela emoção da inverdade em ti contida, ou uma mera e raivosa vendeta pessoal, ou meramente na tua insignificância nada tens a dizer.

Silêncio corrói e mina,
Silêncio destrói e contamina,
Silêncio priva e medita,
Silêncio congrega e facilita,
Silêncio essa mera ausência de som
Essa mera ausência de ti…

Alberto Cuddel®
Exercício poético III
Enviar um comentário