sábado, 20 de agosto de 2016

Li-te


Li-te
 
Se tu lesses metade do que escrevo
Encontrarias em mim o que descrevo
O que sinto, e o que finjo da tua dor
Escrevo-te como sinto sendo eu actor
Das tuas próprias palavras, perdidas
Eternizadas nas páginas das vidas
Fingidas e ocultas na alma reprimida!
 
Encontras em mim, o teu eu
Não metade de ti, mas alguém que leu
O sentir oculto do teu gestos
Dureza das lagrimas que te caíram do rosto!
 
Alberto Cuddel®
In: Tudo o que ainda não escrevi 64
Enviar um comentário