domingo, 4 de setembro de 2016

Circulam



Circulam

Na solidão apressada da noite,
Ouço gritos ensurdecedores da multidão,
Caminha solitariamente, rumo ao desespero,
Muro erguido entre cada homem,
Ego diabólico de umbigo erguido,
Desespero para que escutem,
Para que parem, olhem a seu lado,
Irmãos, nem de sangue,
Percorrem apreçados
Estranhos caminhos circulares
Jamais levarão a lugar algum
Espezinhando quem tristemente
Cai à sua frente pelo caminho!

Alberto Cuddel®
In: Palavras que circulam - IV

Enviar um comentário