domingo, 25 de setembro de 2016

Sonhos de menino




Sonhos de menino

Ainda ontem de mão estendida
Sonhava em mim novo mundo
Criança sem maldade e destemida
Gravado no coração amor profundo.

Ainda ontem, não conhecia o mal
Tudo o que o homem pode fazer
Para sua plena satisfação pessoal
Destrói sonhos, deixa o outro morrer.

Ainda ontem era feliz, inocência
Sem muito por nada já sorria
Ao amigo oferecia indulgência.

Hoje homem, o mal tomou forma
Perdia toda a inocência já feria
Por um qualquer prazer desforma.

Alberto Cuddel®
23/09/2016
In: Palavras que circulam - XVII





Enviar um comentário