domingo, 4 de junho de 2017

A Outra


A Outra

Dançam as águas no céu ardente
Deuses arrepiam-se e conjuraram;
Desejos de mulher que sobejaram,
Por homem infiel agora já somente.

Sedução eficaz que se faz presente
Nas mãos, nas pernas que passaram,
Movimentos do teu corpo ensinaram,
Desejos de homem assim já contente.

Ser simplesmente outra, dias e anos;
Na saudade que em mim castigasse
Palavras cheias de vãs esperanças.

Tu que me manténs nos puros enganos…
Até que teu anafado corpo se fartasse
E na descoberta nascessem vinganças!

Alberto Cuddel




Enviar um comentário