terça-feira, 6 de junho de 2017

Da janela do meu quarto,

Da janela do meu quarto,

Da janela do meu quarto vejo outras janelas,
Umas fechadas, outras abertas, e outras apenas janelas,
As pessoas que nelas vivem, escondem-se por detrás delas,
E são apenas habitantes espreitando por elas.
Da janela do meu quatro,
Vejo o mundo onde vives,
Vejo a imagem que projectas,
Os sonhos, os quereres,
Tudo quanto te fez sofrer!
Da janela do meu quarto, vejo a vida lá fora,
Vejo o desenrolar de uma vida, o já e o agora,
Da janela do meu quarto, viajo pela tua casa,
Vejo-te rir, chorar, partir, ficar, bater a asa,
Vejo um mundo de ilusões,
Quereres, vontades, paixões!
Da janela do meu quarto, vejo o mar,
Aquele outro mar, onde navegamos,
Partilhamos conversas, sentimentos,
Fingimos nos importar, amparar, apoiar!
Da janela do meu quarto, conheço-te,
Tu conheces-me, somos amigos,
Mas quando a porta saímos?
Tudo foi ilusão,
Tudo foi em vão,
Pois a janela do meu quarto,
É apenas um portal,
Para um mundo virtual!


Alberto Cuddel


Enviar um comentário