segunda-feira, 12 de junho de 2017

Liberdade de pensamento por entre paredes estreitas

Liberdade de pensamento por entre paredes estreitas

Liberdade do pensamento naturalmente servo da mulher
De um homem desastrado do papel formatado
Dos hediondos canais sociais que te formatam
Não és livre de pensar sem desejos nem convicções
Ser dono de si mesmo sem influência
Tudo em ti te condiciona, direcciona…

O pensamento como uma entrada no cárcere,
A triste a monotonia de tudo o que aprendeste
Sem que tenhas sede, fome, vontade de saber
Tudo te aprisiona dentro dessa caixa de cálcio.

A liberdade é um caminho de normas impostas
E sobrepostas a ti mesmo, igual a tantos outros,
Não buscas livros malditos escondidos ao lado
De tantos outros formatados em folhas brancas
Onde voa livre o pensamento preso entre capas!

A liberdade de pensamento é o caminho estreito
Por entre paredes altas e portas fechadas
Procuras as chaves nas páginas arrancadas
Nas matérias não dadas…
Mas bibliotecas com pó, nos livros escondidos
Na história que não é contada,
Na radio que não é escutada,
E ai serás livre, para pensar e decidir…

Alberto Cuddel
12/04/2017 às 10:40


Enviar um comentário