quinta-feira, 15 de junho de 2017

O cheiro das coisas

O cheiro das coisas

Soube que amava
Quando senti o cheiro das coisas
Quando as largas narinas se encheram de margaridas
De rosas, de papoilas, de jasmins, de lírios
E de merda, das ovelhas que percorreram o carreiro…
Mesmo assim corria para ti…
Agora sei a que cheiram as coisas
Interessam-me os cheiros, e o teu
Às vezes cheiro-te mesmo antes de te ver…
Outras, não me incomodam os cheiros
Da tua indisposição…
Mas hoje, hoje interessam-me os cheiros,
Esses, e os outros…
Mesmo que a coisa seja a mesma
Apenas com um cheiro diferente…



Alberto Cuddel

Enviar um comentário