terça-feira, 27 de junho de 2017

Portas, ou reentrâncias...

Portas, ou reentrâncias...

Portas fechadas, que se deveriam abrir
Almas amarrotadas, enclausuradas pelo sentir
Ódios cultivados e ouvidos fechados,
Que se abram, que se escancarem
Que se renove o ar, a brisa, deixa entrar…

Que se percam as chaves do egoísmo vil,
Que se escute abertamente abdicando do funil
Da dureza do preconceito formatado
Por um coração duro e bem fechado…
Que se abram portas, janelas, que se derrubem muros
Paredes, pedras…
Que se abram ao mundo, as portas da alma,

Que se abram, que se escancarem
Que se renove o ar, a brisa, deixa entrar…

Alberto Cuddel
28/04/2017
22:33


Enviar um comentário