segunda-feira, 26 de junho de 2017

Tenho escrito, apenas e só!


Tenho escrito, apenas e só!

“Tenho escrito mais versos que verdade.
Tenho escrito principalmente
Porque outros têm escrito.
Se nunca tivesse havido poetas no mundo,
Seria eu capaz de ser o primeiro?”

Álvaro De Campos
15-10-1930

Por onde me encontraria na mentira da criação
Fossem os poetas executores de matéria
De onde lhes nasceria nova vida
No caos desordenado do alfabeto
Nas oitavas menores dos sons da noite…
Cantaria mentira o poeta? Por entre liras estridentes…
Serrados sejam os dentes, herege lançado à fogueira
Que poesia é obra do demo, nela vive o engano.
De mim, nada, nem inventado fora o verso,
Rima de um sentir enganoso e perverso,
Copistas de mentira e palavra já escritas
De um amor estupidamente camoniano
E a tua anarquia ordenada de ideias,
Campos, Campos, de ti Reis,
Libertos da libertinagem das palavras
Soltas e brancas… sem rimas eficazes
Onde o tudo escrito é apenas um nada
Que se apaga, como a lâmpada do quarto…

Alberto Cuddel
28/04/2017
09:08


Enviar um comentário