sábado, 6 de dezembro de 2014

Manhã de inverno!



La fora a gélida manhã,
O frio que me arrepia os ossos,
Quente leito que me conforta,
E tu gelado deitado há porta,
Mãos calejadas, historias sem fim,
Excluído dizem, e tu com tanto a dar,
E tu com tanto a receber,
E eu a vê-los passar,
Um trabalho pedes,
Um lar desejas,
Tens vantagens dizes,
Liberdade, sem grades, sem prisões,
Mas a que preço, tu que nada tens,
Nada possuis,
Tens essa força de viver,
Esse teu jeito solitário de ser,
Sociedade esta, que impõe,
Preceitos, restrições, condições,
Egoísta, preconceituosa,
Defeituosa, nada caridosa,
E eu? Que egoísmo o meu,
Se nem contigo partilho meu pão,
Se nem contigo escuto o coração,
Se nem em teu rosto cansado e gasto,
Reconheço o seu rosto que me carregou,
Que me transportou em seu regaço!

Albert Cuddel

06/12/2014


Palavras Desconexas - 37
Enviar um comentário