sexta-feira, 3 de abril de 2015

Pastor,


Que despojado se ajoelhou aos pés do homem
Que serviu e lavou os pés a seu servo
No exemplo profundo de humildade
Mostrou o caminho a toda a humanidade
Na terna e fraterna caridade,
Por nós se fez sofrer, para nossa salvação,
No sofrimento da tortura do rubro manto
Na espinhosa coroa do desencanto
Nas quedas do caminho da Paixão
Na ajuda do de Sirene, o Simão
Cravado a ferro no seu trono
Por outros dois acompanhado
No madeiro cruzado do abandono
Onde bradas-te aos Céus
Para salvação de todos os teus,
Senhor em ti reconheço
O verdadeiro Filho De Deus!

Alberto Cuddel
  


Enviar um comentário