segunda-feira, 26 de agosto de 2013

As noites,


Que nas sombras escondem pensamentos,
As luzes da cidade iluminam sentimentos,
Gatos pardos miam no abandono,
Cães abandonados procuram dono,
Se ouve um surdo silencio,


Que nos inquieta a alma,
Pelo medo da nostálgica solidão,
De mais uma noite sozinho passar.

Percorro ruas e vielas,
Tentando me encontrar,
Pois a ti procuro,
A cada esquina,
A cada janela,
A cada viela,
A cada lugar,
Mas porque te busco luar?
Quando levantando o olhar,
Te posso encontrar!

Noites escuras, sem luar,
Sem que mas venhas iluminar,
Fico apenas,
Porque não ficar,
Com o meu barulhento pensar?

sábado, 24 de agosto de 2013

Tomada de consciência.



Voltas a olhar o infinito,
Distante e comprometido,
Condicionado e decidido,
A mudar,
A alterar,
A diferente fazer,
A diferente viver,
Ideias ressoam como trovões,
Palavras fortes,
Directrizes,
Consciente do que diferente pode ser,
De que em seu universo pode fazer,
Para que possa mudar!