sexta-feira, 5 de junho de 2015

Fado!

Fado!

Alma lusa feita som,
No trinado chorado,
A saudade de outros mares,
Nas casas de bairro cantado,
São saudade, desespero,
São amores num olhar,
Rouquidão da voz, um outro cantar!
Chorando baixinho noite adentro,
Alma que queima por dentro,
Saudade, de um outro chorar!
Poema feito som, nas cordas trinado,
Gemido e gritado aos ventos, de Lisboa,
Em Coimbra os amores, 
De lá outros cantores de serenatas afamados,
Cantados,
Sempre cantados,
Os amores em outros fados,
Alma nossa, lusa alma,
Na saudade e na desmanda,
Que pelo mundo transposta,
A saudade da nossa porta,
No gemer de uma guitarra!

Alberto Cuddel


Enviar um comentário