sábado, 23 de maio de 2015

Explicando o Impossivel

Nas belíssimas criticas que muitos construtivamente me fazem, muitas vezes me acusam de poetizar muito sobre os mesmos temas, AMOR, SEDUÇÃO, ERRO, PAIXÃO, PERDÃO ETC... 
talvez por isso eu vos deva uma explicação... cá está ela!....


“Todas as cartas de amor são 
Ridículas. 
Não seriam cartas de amor se não fossem 
Ridículas.”
Álvaro de Campos


Todas as palavras que te escrevo são
Ridículas.
Não só as de amor, sedução, ilusão, são
Ridículas.
Mas as outras que de inteligentes são
Ridículas.


São ridículas no sentido e na forma,
Na ânsia disforme, na fome de leitura,
E tudo porque uma vã ridícula norma,
Que impõe que se leia literatura,
E as fases ridículas? Sem sentido?
Ridicularizadas no tempo perdido,
Que alguém perdeu a ler!
Pois o ridículo é escrever.
Sinto-me ridículo, na forma de dissecar,
Jogar, até assassinar, longos poemas,
Com mesquinhas considerações sobre nada,
Será lido? Será escrito?
Que importa, se o pensamento esse é
Ridículo,
Pelo ato de puramente ser pensado!

Sou Ridículo....

Alberto Cuddel
19:09 23/05/2015
Enviar um comentário