segunda-feira, 25 de maio de 2015

Destino!


 
Sigo subindo, descendo alternando na vida,
Sem caminho ou rumo um apenas destino,
Correntes quentes, frias, volta ou uma ida,
Sóbrio, consciente, tentando manter o tino!
 
Como num balão, sigo dançando o humor,
Subindo e descendo, seguindo, dirigindo,
Rumo a um futuro certo, não um rumor,
Navego no ar da nossa vida construindo,
Mesmo no silêncio, mesmo no riso, navego,
Na dúvida, na desilusão, nunca me vergo!
 
Corres em mim, no seio do meu querer,
Vontades que reprimo, não quero ver,
Tempestades traiçoeiras das palavras,
Bonanças enganadoras das verdades,
São em mim apenas passado, saudades!
 
Suposta indefinição em mim segredada,
Por não existir caminho, apenas nada,
Mas sigo, qual timoneiro adormecido,
Navegando rumo ao nosso destino!
 
Fazendo meus, teus sonhos, meus desejos,
Entre fortes palavras, a doçura dos beijos!
 
Alberto Cuddel
25/05/2015 16:04
Enviar um comentário