sexta-feira, 22 de maio de 2015

Escondido em mim!




Perco-me na perspicácia da analise,
Conceitos individualistas do querer,
Nobres feitos heroicos agora realize,
Escrita perdida que tento esquecer!

Reclusão involuntária do pensamento,
Revolta solitária individualista perder,
Mutilação no olhar perdido o momento,
Enclausurado em mim para não ver!
Explosão idiota, eruditas soltas rimas,
Perdido na perceção caídas lagrimas,
Sonhos impostos individual vivência,
Ser pensante com imposta abstinência!

Vegetativo homem seguindo calado,
Ordens e desejos que vais emanando,
Silencio gritado que impondo o ditas,
Palavras, revoltas a não serem escritas!

Represento quieto o sonho abjeto,
Ser que procuras como um objeto,
Marioneta das tuas loucas vontades,
Perdido em mim nas loucas saudades!

Navego no mundo do virtual desejo,
Por minha vontade escrever o beijo,
Querer correr na cadeira sentado,
Querer sentar correndo a teu lado!

Assim conformado, desistindo de ser,
Vontade reprimida, restando escrever!

Alberto Cuddel

 
Enviar um comentário