sábado, 28 de fevereiro de 2015

Roubo, a intelectualidade perdida!


 
Estamos  intelectualmente falidos,
Dando, usurpando e partilhando,
Sem produzir conteúdo próprio!
Com medos e receios de nos darmos conhecer,
Por nossas palavras, sentimentos, ações e saber,
Sabendo que errado é o contrario de certo,
Fazendo de nossa vivência terrena um livro aberto,
Iluminando o negro sentir, deprimidas palavras!
Palavras soltas, atiradas, arremessadas num mural,
Minhas, tuas, sem copias, originalmente sentidas,
Fingindo sentir, o que a realidade obscura oculta!
Nisso já não tenho pudores, com as palavras brincando,
Me dando a conhecer, vou com outros sonhando,
Que com prosas e versos meu mundo vai mudando!
Alberto Cuddel
 
 
Enviar um comentário